IRRF é de responsabilidade do prestador de serviços após o fechamento do ano. Entenda.

A responsabilidade pelo pagamento do IRRF, após o período de apuração, é do beneficiário dos rendimentos, no caso o empregado, sócio ou prestador de serviços.

Por exemplo, determinada remuneração é paga como “dividendos” a sócios, mas oportunamente é caracterizada como verba salarial, ou ainda, um benefício (cartão de crédito) é considerado verba salarial em eventual fiscalização.

Nesses casos, o IR não recolhido pela fonte pagadora é de responsabilidade EXCLUSIVA do beneficiário que deveria ter lançado o valor corretamente na Declaração de Imposto de Renda.

À empresa haverá multa pela falta de retenção ou recolhimento, prevista no art. 9º da Lei nº 10.426/2002.

PAF 13855.000588/2007-77

Justiça define que benefícios fiscais do Programa Minha Casa Minha Vida valem até o fim do empreendimento.

O STJ, de modo definitivo, entendeu que os benefícios do Programa Minha Casa Minha Vida tem como marco para término o final do empreendimento e não o que a lei determina.

O caso concreto avaliava a tributação de 1% sobre a receita, destinada a imóveis com valor até 100 mil reais.

Em 2018 houve publicação de Lei extinguindo o benefício e a dúvida era quanto ao término da tributação favorecida.

Agora resta claro que o benefício vale até o FINAL do empreendimento, ou seja, para todos os recebimentos, independentemente do momento da entrada no caixa, desde que o PEDIDO tenha ocorrido até 2018.

O mesmo vale para a tributação de 4% sobre as receitas pós-habite-se.

A tributação vale para toda a receita da obra desde que o pedido tenha sido formalizado na vigência do benefício.

Possibilidade de atualização do valor de imóvel com a Reforma do imposto de renda.

Junto com aprovação da reforma do imposto de renda, foi inserida autorização para que os contribuintes possam corrigir os valores dos imóveis declarados (base de cálculo para apuração do Imposto de Renda sobre Ganho de Capital) que atualmente é de 15 a 22,5%.

Basicamente:

  • Podem ser utilizados para imóveis adquiridos pelas pessoas físicas até 31 de dezembro de 2020;
  • O valor corrigido será objeto de pagamento antecipado de 4%;
  • O prazo para adesão será de 1 de janeiro a 29 de abril de 2022, apenas;
  • Sobre o valor reajustado não haverá aplicação do redutor por tempo decorrido entre a compra e a venda;
  • Para imóveis rurais, a regra se aplica apenas à terra nua.

Pode ser uma excelente oportunidade para quem pretende vender imóvel nos próximos anos.

Reforma Tributária – O novo modelo aprovado pela Câmara. Entenda.

Como dito anteriormente, o texto básico sofreu uma alteração.

O novo desenho adota a tributação de imposto de renda sobre dividendos sob alíquota de 15%.

O projeto originário era de 20%.

O imposto de renda foi reduzido de 25 para 18% e a contribuição social foi de 9 para 8%.

Agora o texto seguirá ao Senado. Se houver alteração deverá retornar à Câmara.

Para que possam valer a contar de 1/1/2022 devem ser aprovadas nesse ano e com 90 dias de antecedência, ou seja, até 30 de setembro.

Reforma Tributária (básica) é aprovada na Câmara. Entenda os principais pontos. URGENTE.

O texto básico foi aprovado. Novos itens (são 26) serão votados nessa quinta.

Por ora:

  • O IR das empresas é reduzido de 15% para 8%, no total a alíquota que era 25% passa para 18%;
  • A Contribuição Social Sobre o Lucro é reduzida em 1%, passando para 8%;
  • Tributação de dividendos em 20% do valor pago ou creditado. Estão isentas as empresa com faturamento até 4,8 milhões ao ano; do SIMPLES; pagamentos à holdings e empresas do imobiliária do RET;
  • Fim dos juros sobre capital próprio;
  • Elevação da tabela de retenção na fonte. Passam a estar isentos rendimentos até 2.500 reais;
  • Pessoas Físicas podem elevar o valor declarado com pagamento de imposto de renda de 4% sobre a atualização;

Atualizações em breve.